Como a alimentação interfere na saúde mental

Uma alimentação saudável, não reflete somente para condições de saúde física, mas também na saúde mental. Algumas vitaminas podem contribuir para evitar e tratar doenças mentais como: depressão, ansiedade e outras.

Se o organismo possui deficiência de algumas substâncias, como as vitaminas e minerais, pode ser prejudicial. A falta de B12 está relacionada à fadiga, letargia e até à psicose, e os baixos níveis de niacina estão relacionados com os quadros de demência, e pouco ácido fólico pode predispor a depressão em adultos.

Algumas vitaminas e minerais podem auxiliar na manutenção do sistema neurológico e diminuir o impacto das doenças mentais, tais como:

Complexo B: atua na manutenção dos neurotransmissores e da energia, o que auxilia na regulação do humor e na concentração. Alimentos fontes: suco de laranja, melancia, manga, carne vermelhar, ervilha, farelo de aveia entre outros.

Vitamina B12: manutenção da saúde do sistema nervoso e do metabolismo. Alimentos fontes: Fígado de boi, frutos do mar, ostras, fígado de frango, salmão e atum, carne de boi, camarão, iogurte, leite, queijo, ovo, carne de frango.

Acido fólico: substância faz parte da produção da serotonina, um neurotransmissor que garante o bom humor. Alimentos fonte: vegetais verdes escuros, frutas cítricas, nozes e castanhas.

Zinco: é antioxidante e auxilia na melhora de energia, cansaço e memória, ajuda a retardar o envelhecimento, a regular a produção de proteínas e hormônios, entre outras. Alimentos fonte: amendoim, castanhas, feijões, carne vermelha, ovos e outros.

Uma alimentação equilibrada rica em todos nutrientes constituída por alimentos energéticos (carboidratos), construtores (proteínas) e reguladores (frutas, verduras e legumes), contribui para saúde física e mental.

Francielle de Camargo Jesus – CRN 65278
@estanciamorrogrande e @franciellecamargo_